Translate

terça-feira, 15 de outubro de 2013

LUGAR DE ORGULHO GAY É NO ARMÁRIO




Imagina a cena. Mesa de jantar, família toda reunida para Ceia de Natal, então o filho mais novo, beirando os 20, levanta e diz:

- Eu queria aproveitar que tá toda a família reunida pra assumir uma coisa que tá me sufocando... Eu não aguento mais! Tenho que colocar pra fora... Resolvi sair do...

Todos se olham tensos. A mãe tenta impedir o filho de falar, mas em vão, ele sobe a voz e anuncia: 

- Resolvi sair do criado mudo. Sou hétero!!!!

Será que alguma vez na história alguém já se assumiu heterossexual? 
     Provavelmente não. Agora por que não? 
  Porque a heterossexualidade é legitimada pela sociedade atual, e pela natureza também em muitas situações. Mas não em todas.

E a homossexualidade vem de onde?
Temos Freud explicando o complexo de Édipo. Mas e quem não tem mãe? Aqui entraria o diabo das Igrejas mais ortodoxas?  O espiritismo também pode ter razão quando fala que depois de muitas vidas no mesmo gênero, trocar de sexo em uma vida seguinte, pode não comportar uma mudança da alma. E mesmo tendo, no corpo, um sexo bem definido, a alma segue com as sensações do antigo. 
Mas pode ser que a opção homo não seja nada do outro mundo. E sim, o resultado de uma criação de opressão e repressão. Talvez um jovem tenha sua masculinidade roubada com abusos sexuais ou morais e não se sinta capaz de ser homem. Ou talvez uma menina tenha uma mãe tão vilã, que desenvolva um trauma de viver o papel da mulher e se transformar na bruxa das histórias que ouvia na infância.  Talvez seja um pouco disso tudo ou, talvez, nada disso. Ninguém sabe ainda. 

      Muitos alegam que a heterossexualidade é o natural porque é assim que a humanidade procria. Muito lógico por sinal, se a gente não levar em conta - diferente de alguns países orientais -  que o espaço no nosso mundo é limitado e, quem sabe um dia, as espécies terão de parar de se reproduzir, pelo menos por um tempo, para não faltar o espaço físico no Planeta Terra. E aqui se encaixaria a explicação da homossexualidade no mundo como uma função natural da evolução: Evitar a superpopulação do nosso planeta. Então, pasmem, sentir atração por iguais entra, agora, nos planos de Deus. E a consequência disso, daqui a milhões de anos, ou nem tanto, pode ser o mundo gay tão sonhado pelos homossexuais ainda nada a vontade com sua própria opção. 

Aliás, existe muita gente atraída por iguais que é cheia de preconceito. Heterossexual convicto fala de mulher, futebol,  trabalho, investimento e/ou política. E nunca vai ficar de fofoquinha - palavra que também não combina com heterossexualidade, nem com nenhuma pessoa equilibrada -  comentando se o fulano é gay ou isso e aquilo, porque simplesmente não faz nenhuma diferença para ele. Para um legítimo hétero, mal interessa se o peito é de silicone, quanto mais se o colega agasalha o croquete. Aliás, se a vizinha for lésbica, melhor. É por isso que você nunca vai ouvir da boca de alguém 100% hétero: "esse cara é viado" porque ele é muito homem para perder tempo com esses papos de "mulherzinha". E a gente só fala daquilo que nos interessa.

Várias vezes já me perguntaram se é verdade que todo gaúcho é gay. Minha resposta é:
- Olha, obviamente, nem todo gaúcho é gay, mas todo mundo que me faz essa pergunta é.

Bah! Fala sério!! O estado com a fama de ter a melhores mulheres do mundo e o cara pergunta sobre os gays?!!! Existe armário mais transparente do que esse?

Mesma coisa acontece com os homofóbicos. Foi notícia: Um cara e um jovem estavam caminhando abraçados, trocando carinho e foram espancados por isso. Despois descobre-se que eram pai e filho. Bom, se eles não eram gays, a homossexualidade não estava neles. Então, veio de onde? 
Os próprios homofóbicos fantasiaram um casal gay.  O filme Beleza Americana, ganhador de vários Oscar, explica bem isso. 

Quando a deputado Jair Bolsonaro fala que o homossexualismo vai acabar com a família, me dá a nítida impressão de que ele não casou com um homem porque tinha de formar uma família como manda o figurino. 
O casamento gay acaba com muita burocracia, mas não com os heterossexuais, como se fosse uma invasão ao Iraque. A fantasia do Bolsonaro indica que ele é só mais uma pessoa mal resolvida querendo antecipar o mundo gay. Mas o mundo não precisa ser gay para que as pessoas se aceitem gay. E, tenho para mim, que toda pessoa que gasta energia contra qualquer referência homossexual tem lá suas questões, da mesma forma, aqueles que falam... "porque eu que sou hétero".  E hétero precisa falar que é hétero?

Mas no fundo a culpa não é dos armarildos, pois, todos nos crescemos ouvindo que homem não chora. Não tem sensibilidade. Não é carinhoso. Não discute relação. Não faz terapia. Tem que ser bruto. Homem não pode rejeitar mulher, nem dançar em boate. E tem que trair. Então, quando o cara identifica em si, a sensibilidade inerente a qualquer ser humano, mesmo que não seja gay, sai querendo matar todo mundo porque acredita que possa assassinar no outro a sua própria sensibilidade. Mas não pode.

"Não tenho vontade de trair minha namorada. Será que sou gay? Acho que preciso de terapia. Não! Vou sair pra dançar... Putz f...!"

A própria Dilma, que queria lançar o kit gay, foi perguntada por um jornalista se era homossexual. A resposta indignada, no vídeo abaixo, foi " Meu filho, tenho uma filha e uma neta". Agora, para quê tanto nervosismo? Não era mais fácil dar uma resposta livre de culpa e preconceito, com um suave sorriso no rosto? Tipo: "Meu querido, o que importa é que eu sou uma boa presidenta."  Qualificação que não vem ao caso.
Tudo que aprendemos sobre pacotes masculinos e femininos nos leva a sérios riscos porque jeito de ser não define posição sexual. Tem muito homem macho e até estúpido com o joelho ralado. Tem muito cabelereiro tarado em mulher. E tem muita mulher feminina e até vulgar que só usa calça de velcro. E daí? 
  
     Também existem muitos gays que não conseguem receber um sorriso ou  atenção sem fantasiar o casamento dos sonhos com um cara que está apenas sendo gentil. Se os gays não acharem normal receber um elogio de outro homem, como os outros acharão? Se existem homossexuais que não acham normal sua própria condição,  quem achará? 

     E cara que fala "Não acho homem bonito" tem medo de ser gay porque visualiza essa possibilidade na admiração por outros homens. E, às vezes, é gay mesmo. Outras não. Fica só inseguro diante de tantos rótulos sociais superficiais. 
     Um homem pode admirar a beleza de outro sim! Como admira um carro ou uma paisagem. Homem chora até assistindo filme. Não sente tesão em algumas mulheres. Homem também tem coração e, as vezes, é feliz sendo fiel. Homem tem vaidade! E tem que ser muito macho para não se preocupar com que os outros vão inventar a partir disso. Digo inventar, porque não tem como mensurarmos a aptidão sexual de ninguém. Simplesmente porque a identidade sexual é como impressão digital: cada um tem a sua. Pessoas totalmente gays e héteros convictos são a grande minoria. Isso, minoria! Entre um e outro existem milhares de possibilidades que não justificam nenhum rótulo e, mesmo assim, podem  ser possibilidades felizes e naturais. 
Existem sim, aquelas pessoas que realmente não gostam nem de encostar em pessoas do mesmo gênero.  Enquanto, outras sentem certo prazer ao abraçar.  Existem aquelas que gostam de fantasiar com o mesmo sexo sem a mínima vontade de realizar tais fantasias. Já outras se permitem serem tocadas, acariciadas e ponto. Tem aquelas que vão além, fazem sexo ou nem chegam a tanto. E não interessa para quem está fora das 4 paredes. Cada um tem o seu limite, o seu gosto, suas fantasias. E todos devem ser respeitados! Ao invés de trancafiados em armários...

Passeatas de orgulho gay me soam como heterofobia, se não como bloco de carnaval. Orgulho é um dos 7 pecados capitais. Pessoas orgulhosas são mal resolvidas, se sentem menores e usam o orgulho para se defender da sua própria pseudo-pequenês. 

    Orgulho de ser gay? Fala sério! Qualquer merda pode ser. Se for para sentir orgulho, que seja por ser bom caráter, por bons feitos, conquistas e realizações de sonhos, por ser digno, íntegro, generoso, coisa que muito gay não é, e muitos héteros nunca ouviram falar. Orgulho de sair do armário? Tem é que sentir vergonha de ter acreditado nele. Como Marco Nanini disse: 
"Eu saí do armário?! Como, se nunca entrei?" 



    Amor próprio todos podem e devem ter, seja hétero, homo ou esteja em algum lugar entre. Pessoas bem resolvidas não carregam bandeira na mão, porque estão com as mãos ocupadas com quem elas amam. São felizes sem dar qualquer explicação, pois, da mesma forma que ninguém precisa revelar que é heterossexual porque é "normal", também ninguém precisa anunciar que não é. O lugar do orgulho homossexual é no armário, porque mundo bem resolvido, não é gay. E nem mesmo hétero. 
É livre!











DILMA respondendo a pergunta sobre sua sexualidade:




2 comentários:

dizagonzaga disse...

Perfeito!!!

Semíramis Alencar disse...

Amigo Luciano,
Obrigada por mais um artigo para fazer pensar.
Gosto de acreditar que as pessoas devam ser felizes e sempre procurarem a felicidade. Ninguém é feliz sozinho e mascarar os sentimentos pode ser a pior coisa que um ser humano pode fazer, por si mesmo e com o outro.
Já conheci muita gente que, por medo de ser rechaçada pela família por ser homossexual, fez tudo conforme a sociedade formal dita, fez todo mundo feliz, menos a si mesmo. O resultado: depressão, infelicidade, revolta... e o que adiantou?então, penso que cada pessoa deva ser feliz e buscar essa felicidade nos braços de quem as possa fazer feliz, porque a felicidade é simples assim!
Um beijo para você e tudo de melhor em sua vida,
Semíramis