Translate

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

8 pensamentos para não perder a esperança na vida…

8 pensamentos para não perder a esperança na vida…: Existem momentos em que nos encontramos afogados em uma solidão avassaladora. Esses instantes de isolamento do mundo acontecem porque ignoramos a força do

9 maneiras através das quais você pode estar se boicotando, sem saber…

Meu texto no site O segredo!

Espero que curtam!




9 maneiras através das quais você pode estar se boicotando, sem saber…: A autossabotagem é uma das formas mais sorrateiras e comuns de tornar nossa própria vida mais difícil. Racionalizamos certas atitudes e, com isso, acabamos

segunda-feira, 13 de março de 2017

DESCUBRA SE É PESSOA AMADA EM 24hs!


          

          Diante de tanto contra-senso entre um "eu te amo" e os problemas existentes entre as pessoas que dizem se amar, comecei a reaprender a minha visão do amor. Agora, ao invés de perguntar: Você realmente me ama? Eu passei a consultar o meu coração. Isso. O amor que uma pessoa sente por você não está nela. E sim, lá dentro do seu peito, porque ser amado não tem a ver diretamente com as coisas que uma pessoa faz para você ou por você, mas sim com como ela faz você se sentir. E não é aquele sentir-se bem egóico de quem te mima interesseiramente para não perder seu "amor". Estou falando do amor de alma mesmo.
          De que adianta alguém lhe dar um carrão se o que você quer mesmo é só um abraço bem gostoso para se sentir bem.  Ou seus pais te darem um apartamento se o que você quer da vida é viajar o mundo. De que adianta  um amigo te chamar para um chope e ficar desconfortável com o seu sucesso no trabalho porque compete com você o tempo todo. De que adianta a pessoa te preparar um jantar a luz de velas e ficar te provocando a noite toda. Aí você explode e tem de escutar: "Ah mas eu fiz esse jantar com todo amor."  E a gente se sente culpado ainda. Só que isso não é amor. Porque como diz a canção “O amor é bom, não quer o mal. Não sente inveja ou se envaidece.”
           Então, uma pessoa que te ama não vai te expor ou os teus defeitos, porque isso vai fazer com que você se sinta envergonhado ou humilhado. Ela não vai te tratar com desrespeito porque isso vai te fazer mal. Se uma pessoa te ama, ela não vai te mentir, te  manipular ou te trair pelas costas porque isso vai fazer você parecer um idiota. Quem ama, não tem duas caras. Amor é saúde física e mental. Por isso, estar na companhia de uma pessoa que não se preocupa com o que você sente de verdade é insalubre, uma vez que o verdadeiro amor faz você se sentir bem. Ou pelo menos ter aquela sensação de saudade antes mesmo de partir. A presença é sempre gostosa independente da atividade,  de bens, de  lugares e até de um momento difícil, porque o amor é alegria.
          Mas claro que também existe o outro lado da moeda ou do coração. Se você ama uma pessoa, também não vai querer que ela se sinta mal. Você vai fazê-la rir, ao invés de chorar e planejar momentos prazerosos. Vai vibrar com suas conquistas ao invés de se alimentar de suas derrotas. Você vai sim, colocar ela para cima ressaltando as suas qualidades e estimulando sua autoconfiança. Também procura ajudá-la a se tornar um ser humano melhor apontando suas deficiências, sempre com amor e sem julgamentos. Por que quem cuida de verdade não tem medo de ser sincero. Avisa que o dente está sujo ou que sobrou uma remela no olho e evita aquele momento em que a gente chega em casa e percebe aquela meleca querendo fugir do salão desde quando soou o nariz 4 horas atrás.
           Quem ama mesmo, não tem medo de mostrar seu amor porque sabe que isso vai fazer você se sentir especial. E também não julga inferior o outro que mostra o seu sentimento, porque se sente um privilegiado. Quem ama mede as palavras mas não poupa verdades. Sim, quem ama também é humano e, às vezes, comete um deslize ou outro, mas quando se dá conta, volta correndo para pedir desculpas porque se arrepende de ter feito a outra pessoa se sentir triste.
          É óbvio que não é fácil. É só o princípio de um longo aprendizado e uma importante evolução porque o amor é vida. Mas também, nem é preciso muito para fazer alguém se sentir especial. Basta um carinho despretensioso, um olhar de orgulho mesmo que à distância, um "amei" no Facebook e até um bom dia no WhatsApp, mesmo que tenha menos de 3 palavrinhas.  Porque amar pode ser simples. E quando esse sentimento acontece é divino, e os anjos agradecem os nossos esforços em amarmos melhor nossa família, nossos amigos ou quem nos relacionamos.

         Então, da próxima vez que tiver alguma dúvida se seu amor, seu amigo ou algum parente realmente te ama, não pergunte para a pessoa. Pare, feche os olhos e pergunte para si mesmo: Como essa pessoa
faz eu me sentir? E se, ainda de olhos fechados, você sorrir, terá uma linda resposta, porque o amor é paz. Claro que existe o risco de entender que, às vezes, não há amor onde você gostaria de encontrá-lo, mas, por outro lado, você pode se surpreender encontrando amor onde jamais havia imaginado... E, finalmente, ser feliz!

Ps: Bom, espero que, após ter lido esse texto, você esteja se sentindo... bem. ;)

terça-feira, 28 de junho de 2016

NA CONTRAMÃO DA VIDA

     
     É tanto roubo, tanta armação, tantos assassinatos, tantos atentados fora crises econômicas, políticas e conjugais, e até existenciais, que a impressão que dá é de que estamos indo para o caminho contrário ao aprimoramento dos nossos próprios sentimentos, o que nos levaria a um estado elevado de constante paz interior, ou, simplesmente, de uma vida com muito mais pitadas de alegria.
     O que mais queremos da vida é ser amados, seja como uma pseudo-celebridade de um mundo qualquer, que pode até ser o de uma esquina obsoleta, ou como um ente querido que fica nas memórias aconchegantes dos seus para sempre. E o amor é bom sim. É a única coisa no mundo que não precisa vir acompanhada. Eu te amo! Pronto! Pode ser do pai, da mãe, de um primo, do melhor amigo, do amor da nossa vida e até de um transeunte numa pegadinha esdrúxula no meio da rua. Toca, mesmo que seja de leve. Surge um sorriso mesmo que não chegue a mostrar as covinhas de quem tem. Aquele instante vira um segundo pleno, de paz, de segurança, de sensação de estar no lugar certo, a gente se sente suficiente. E Pronto! Sem vinho, sem chocolate, sem flores. Apenas amor. E quem acha que precisa de mais é porque lhe falta muito amor... próprio.
    
     Lembre de um momento especial que alguém te disse eu te amo. Não importa o que veio antes ou depois. Fecha os olhos e lembra....  Bom né? Pois é... Então eu paro e penso. Se o amor é uma coisa tão maravilhosa porque nossos corações estão secando? Se é tão intenso, porque andamos na contramão dele?
     A gente está super a vontade com os amigos, então chega aquela pessoa que a gente está apaixonado. E tudo muda. A gente ajeita o cabelo e perde o jeito, se cala, se censura, ou passa a se gabar contando vantagens como se um “Como você está?” não fosse suficiente e dar atenção, escutar com zelo, querer saber de verdade, fossem coisas de outro mundo quando na verdade são os códigos do amor. Então, não precisa gel, escova, decote, silicone ou cartão de crédito. Um toque sincero na mão, um sorriso de cumplicidade genuína ou uma indignação abrupta ao ouvir uma injustiça pode acender uma chama que irá durar o resto da vida.
     E quanta injustiça! A atendente que deveria resolver seu problema, deixa você pendurado na espera até que corta a ligação. O garçom demora para vir atender o cliente, tira os pedidos de má vontade e mesmo assim acha lógico ganhar gorjeta no final. E os bancos que lucram com nossas movimentações e investimentos mas nos deixam plantados na fila em dia de pagamento. Como assim? Que inversão é essa? Estamos a serviço dos nossos serviços! Em plena contra mão! Assim como o nosso governo que deveria estar no comando por um sentido de dever com o povo, mas nos rouba e nos deixa na situação oposta do luxo que se colocam usufruindo de um poder que nós mesmos demos a eles. É quase que um cruzamento da Av. Paulista todo na contramão.  E quando uma viatura chega nessa encruzilhada não sabemos se ficamos ou corremos. Por que temos medo de quem nos tira dinheiro ao invés de nos proteger de quem nos rouba ele. Quanta falta de amor também quando se deita e dorme tranquilo no mesmo dia que se desviou o dinheiro da merenda escolar, do hospital do câncer infantil, que esta quase fechando. Da saúde como um todo, com grávidas expelindo bebês em corredores de hospitais públicos repletos de barbaridades e pacientes que morrem de câncer antes mesmo de começar o tratamento porque não há estrutura.
     Não para por aí. Em uma conjuntura ainda maior, os grandes países disputam regiões de petróleo, mercados, e querem bombando na bolsa de valores as ações de suas empresas, que podem estar destruindo o meu e o seu mundo, colocando-os na contra mão de um lucro que não vão poder usufruir a partir do dia que o Planeta Terra atingir temperaturas acima de 50 graus para sempre. E, apesar de todo dano e da vida curta, continuam inventando verdades para fazer guerras onde já morreram milhões de pessoas pelos motivos mais contrários ao amor.
     E ainda tem mais. Muito além da
realidade ainda estão os terroristas que usam o nome de um deus, que deveria ser a tradução de paz, para matar e se matarem tirando a vida que esse próprio deus lhes deu. Nessa caso "contra mão" é muito pouco.
    
É! Não podemos acabar com o terrorismo do Estado Islâmico. Mas podemos acabar com nosso terrorismo pessoal. Guardar nossas bombinhas de palito de fósforo e nossas armas de chumbinho que atingem diariamente as pessoas que amamos. O melhor para nós mesmos é aceitar que esse sentimento de altruísmo dite a nossa vida e não o orgulho proveniente da falta de auto estima. Tirar o ego do comando e promover o coração.
     Procurar uma pessoa que nos faça falta é uma demonstração de amor e não de fraqueza. Está afim, liga! Se a pessoa não corresponder, é porque ela está fora desse nível de paz interior ou estava ocupada. Vai! Dá o braço a torcer, admite que está errado, assume que falhou, pede desculpas. Arrisca vencer por mérito próprio. Corre atrás do sonho sem esquecer que malandragem é burrice e honestidade é consistência. E se mesmo assim não dar certo, pelo menos você tirou um caminhão das costas.     
Na contramão da vida também está essa sensação de derrota que temos com o sucesso de quem queremos bem, e nem é falta de amor, a não ser que seja o próprio. Dá aquela dorzinha no peito, aquele aperto na barriga. Sentimos que perdemos uma disputa que, na verdade, nem fazemos parte. Então se libera, curte a felicidade do seu amigo. Admira o conhecido que chegou onde você tanto queria. Aprende com o exemplo, se entrega a essa admiração, a esse amor e fica em paz.  Sem competir, sem querer copiar ou usar máscaras para não ficar por baixo. Sem inventar fofoca para desvalorizar quem está numa batalha tão dura quanto você. Quando a gente se quer bem não existe por cima ou por baixo, mas sim, lado a lado.
     Entramos na contra mão quando fazemos intriga principalmente porque admiramos. É tão pequeno detonar um colega e no outro dia pegar uma carona com ele. Ou meter o pau na namorada e na semana seguinte correr atrás dela. Como você pode colocar seu marido contra a própria família dele, se você diz que o ama?  É esse velho hábito de desvalorizar as pessoas para nos sentirmos melhor com nossas próprias falhas. E, às vezes, vemos nos outros até defeitos que não existem para nos sentirmos mais amados ou menos insignificantes. E isso é pegar um atalho pela contramão. É medíocre, nos faz inferior a quem estamos falando sobre e o risco é alto....
     Precisamos parar de trocar favores e passar a trocar gentilezas de coração, sem mandar a conta no final.  Por que um dia de alguma forma, tudo volta. Fazer o que tiver ao nosso alcance mesmo que seja para um estranho perdido no meio do caminho. Vamos abrir portas para os outros passarem sem nos sentirmos prejudicados. Maduros o suficiente para entender que a posição de ajudar é muito melhor do que a de ser ajudado. Vamos tocar vidas, ajudar pessoas a conquistarem seus sonhos sem qualquer interesse. Vamos jogar elogios no ar como um beija-flor que semeia a boa energia, a paz. Vamos ajudar às pessoas a construírem histórias lindas. É gratificante sim porque a troca que a gente faz não é com quem a gente ajuda mas sim com o universo. Então faz os outros felizes que a vida vai te fazer feliz também. E só ter paciência.
     Tem gente passa a vida brigando com pai ou com a mãe e quando um deles morre, desmorona. Então se dá conta da insignificância do desafeto. E a família é sempre o ponto fraco por que é o amor que mais precisamos. É esse amor ou falta dele, que dita quem nos tornaremos ou não. Então por pura conveniência faça as pazes com seus familiares mesmo que seja só internamente ou a uma certa distância. Entenda fraquezas, aceite que foi amado. Porque você foi sim, talvez não do jeito que você queria, mas na intensidade e forma que seus parentes eram capazes. E se eles não foram aptos ao amor, reze por eles e entenda que se você nasceu com eles é por que precisa ajudá-los. Essa diferença no pensamento é uma fundamental mudança para se sentir em paz. Só assim vamos estar prontos para dar amor, aquele que nunca tivemos e entender que não precisamos nos sentir culpados por sermos felizes num mundo repleto de infelicidades, afinal, a sensação de ouvir um eu te amo é muito boa, mas  a de dizer.. Ah ! Essa é muito melhor...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

MACONHA, DOS MALES O MENOR.


     Levando em conta o contexto dos dias atuais, quase que a gente não encontra motivos para que a maconha não seja liberada. Às vezes, a ilegalidade de tal erva, soa até como puro preconceito. Primeiro porque que quem tiver afim de fumar um, mesmo com as UPPs, compra maconha como se ela já fosse legalizada. Outra razão é que algumas drogas mais pesadas, além de liberadas, são encontradas em qualquer esquina. 

Mas isso não quer dizer que a maconha seja “cool”. Não, não é. Tenho um conhecido que o pai morreu de câncer na laringe por causa da ceda. Um amigo ficou paranóico por usar maconha todos os dias durante alguns anos e hoje tem acompanhamento psiquiátrico e, claro, nada de marijuana. Aliás, o próprio ato de fumar já é prejudicial às vias aéreas, além do mais, a droga contém centenas de elementos psicoativos que causam problemas de saúde física e psicológica, e podem causar dependência também. Pois então, mesmo que seja muito difícil morrer de, a maconha é droga e seu uso continuado faz mal a saúde sim! Fato que não podemos negar. Mas antidepressivos, viagra, remédios em geral também podem prejudicar a nossa saúde. O que torna irrisória qualquer autorização judicial para utilização de medicamentos à base de tal erva.
O álcool contribui muito para a “leveza” da marijuana. A bebida causa danos irreversíveis ao cérebro e prejudica o organismo de forma muito mais violenta do que a maconha. Aliás, violência também é um efeito colateral do álcool e da cocaína:  Alguns bêbados se transformam no Anderson Silva, e, às vezes, matam ou morrem porque nos bares da vida, não existem juízes que param as lutas ou evitam golpes baixos como garrafadas e tiros.
O álcool também entra nas estatísticas quando se fala em trânsito. Hoje a maior causa de morte entre os jovens do Brasil é o acidente automobilístico. Mesmo que essa estatística inclua apenas mortes ocorridas no local do acidente. Foi para o hospital, vira traumatismo craniano ou o que seja o ferimento. E dentre mortos e feridos, a grande maioria está sob efeito do álcool ou é vítima de alguém alcoolizado. É o caminho mais rápido de uma festa para um velório, às vezes, o próprio.
O álcool, assim como a cocaína, também destrói lares. Começa pela vergonha social de conviver com alguém intermitentemente bêbado. Os vexames e situações embaraçosas causam profundos danos psicológicos principalmente em crianças que vivem sob estas circunstâncias. Fora o trabalho que os bêbados dão para quem os tem de cuidar, ainda podem se prejudicar no seu próprio trabalho. Entretanto, o mais grave é a violência doméstica. Os pais bêbados que se tornam incapazes de proteger a sua família e acabam abusando da violência ou dos próprios filhos.
Então a gente pára e pensa: Bom se com todos esses danos o álcool é liberado por quê a maconha não é?
Nunca vi um pai chegar em casa e bater na mulher ou na família inteira porque estava chapado. Pelo contrário, é mais fácil ele deixar para trás todos os seus problemas - mesmo que entorpecidamente - transformando-se em um pai mais carinhoso e divertido, que ri à toa e coloca os filhos na cacunda para protegê-los de aliens cibernéticos.
Nunca vi alguém com ressaca de maconha. Ninguém vomita porque fumou demais. Larica causa fome e não dor de cabeça e mal estar. E um sono bom também.
Me pergunto: E se todos fumassem maconha como tomam café preto, será que haveria guerra no mundo? Imagina o Puting chamando o Obama para fumar um e dialogar sobre a crise da Ucrânia. Você acha que eles disputariam interesses sobre a Criméia ou entre uma prensada e outra chegariam a conclusão de que o melhor para tal Estado é ser livre? E se o Bush fosse maconheiro teria invadido o Iraque? O Bin Laden teria derrubado as torres gêmeas? E os corruptos? Teriam tanta necessidade de poder e dinheiro como sugere a cocaína ou levariam a vida mais numa nice?
Eu duvido que, se todas as pessoas, que responderam a pesquisa sobre as mulheres merecerem ser estupradas, estivessem chapadas, o resultado seria o absurdo que foi.
Sim, a maconha, apesar de todos os seus males, poderia criar um mundo mais tranqüilo, mais compreensivo e mais carinhoso. Um mundo mais “paz e amor“. Mas é evidente  que se o mundo precisa da maconha para viver em paz, significa que ele está fraco e doente. O ideal seriam pessoas educadas, calmas, compreensivas e sem medo de mostrar os sentimentos por pura obra da natureza e não como conseqüência do uso de uma droga. Mas como estamos longe dessa realidade e vivemos em um mundo cada vez mais cruel, rápido e ansioso, de pessoas sem auto estima, egocêntricas e competitivas, a maconha pode vir a calhar.
Bom, se a gente conclui que, de certa forma, a maconha pode trazer benefícios para a sociedade atual, liberamos amanhã?
Não, não é bem assim. Das drogas  provém o sucesso dos traficantes. Elas os ajudam a sair de uma vida miserável. Trocam seus barracos por casas de luxo, suas motos usadas por carros importados. E através das drogas que eles bandidamente compram suas correntes de ouro e a vida que dificilmente teriam se fossem simples moradores de uma comunidade em um país equivocado como o nosso. E se acabam com o monopólio deles, são as nossas correntes que serão puxadas em mais um arrastão. Nossos carros que serão roubados nos sinais e nossas famílias e amigos que serão assassinados por terem apenas alguns trocados na carteira. Mesmo que não fumem maconha. Ninguém nos obriga a ligar para um traficante. Mas não podemos evitar um tiro na cabeça decorrente de um assalto.
Por outro lado, muitos policiais honestos já foram vitimizados por lutarem contra esse comércio ilegal e, por isso, deixaram suas famílias incompletas, seus filhos órfãos.  Muitos inocentes, ou nem tanto, também já foram mortos em conseqüência do efeito dominó da violência do tráfico de drogas. Danos esses causados não pela droga em si, mas por sua ilegalidade. O dinheiro com o qual patrocinamos o tráfico é investido em armas, como também em policiais e políticos corruptos, para que os traficantes mantenham seu domínio. - Fundamental motivo para que não sejamos usuário de nenhuma droga ilícita. - 
Tem gente que grita que quer uma sociedade mais correta e logo em seguida compra um baseado com o dinheiro que ajuda ela a não ser. Entretanto, o lucro de uma empresa é aplicado em funcionários, treinamento, novas filiais. O que pressupõe a legalidade como uma forma de amenizar certa violência e deixar que cada indivíduo responda pelas suas próprias decisões. Mas uma legalização que seja bem pensada e estruturada, caso contrário, ao invés de solucionar, vai criar novos problemas.
É, sem dúvida, a legalização da maconha é um assunto polêmico e bem complexo. Nada que a gente possa decidir e raciocinar chapado. Mas também nada que fumar um não possa nos fazer esquecer e relaxar... Não é?

sábado, 15 de fevereiro de 2014

A CRIAÇÃO DO MUNDO É UMA INVENÇÃO!


    


     É estranho imaginar que existem pessoas que não acreditam em algo superior regendo o mundo, o universo. Como se a flora e fauna fossem obras do acaso. E os movimentos do planeta terra que originam as estações do ano, como também o dia e a noite, fossem mera coincidência. De repente se descobre um novo planeta com vida na via láctea e comenta-se: Como esse universo é pequeno.

     Para a bíblia, pequeno foi o tempo que durou a criação do mundo: 6 dias. Sendo que o domingo foi de folga. Se Deus foi capaz de criar esse mundão a fora em uma semana, ou precisou de uns bons milhares de anos para descansar ou não sentiu nem cócegas. Claro que entendemos que é mera simbologia. Cada dia talvez represente milhões de anos de evolução, até por que nós já sabemos que mágica não existe.
     E a teoria do Big Bang que chega para tentar desvendar esse truque da existência. Há 20 milhões de anos, a via láctea era formada por uma grande explosão de um bloco de material original. Ok, mas como se formou?...E com essa explosão, todos os planetas, astros e estrelas foram parar exatamente onde estão e resolveram movimentar-se entre si como se estourássemos um balão d`água na lua e as gotas formassem o perfeito conceito das galáxias e seus movimentos. Bigbang dentro da nossa cabeça.
     A teoria grega é a mais lúdica para não dizer esquizofrênica. Do Caos veio Érebo que significa profundezas do inferno. Ele conheceu Nyx, a noite. Provavelmente em uma boate. Casaram-se e tiveram dois filhos Éter, o ar, e Hemera, o dia. Ou seja, o dia é neto do Caos e filho das profundezas do inferno. O que explica muita coisa... Depois Gaia, a Terra, casou-se com Urano, o céu. Será que na igreja? Frutos dessa união inusitada nasceram titãs, deuses e homens. The end.
     Eis que me deparo, então, com uma teoria criacionista muito interessante chamada “Design Inteligente”. Parece até curso de universidade. Mas não é. Nessa teoria a base da criação é a inteligência em si e não uma figura a nossa semelhança, como um mágico barbudo que responde por
Deus. Não que a religião não faça sentido para seus defensores. Simplesmente admitem um criador mas se colocam na condição humilde ou ignorante, como deveras somos, de não saber quem é esse “designer” e o que é anterior a sua criação. Talvez seja uma condição inerente ao ser um humano não saber o que vai além, como a fórmula da coca-cola, em uma comparação inversamente proporcional.
     Para a teoria do Design Inteligente, a natureza é tão perfeita que não pode ser natural. Bigbang dentro da nossa cabeça de novo. O que pretendem significar é que o corpo humano, por exemplo, foi tão milimetricamente calculado em uma complexidade absurda de funcionamento e estrutura, que tem de ter sido projetado. Pô, viemos até com saneamento básico. Da mesma forma, foram calculados a cadeia alimentar, o clima, as vegetações, o movimento dos planetas e suas galáxias, como também, a exata sincronia que rege todos os elementos existentes no universo. Ou simplesmente existentes.
     A gravidade não é um mero detalhe que nos mantém com os pés no chão. É mais um esquema de um projetista muito sagaz que estabeleceu que o fruto que você vai colher, além de cair em direção ao solo, também depende da semente que você vai plantar. Em todos os sentidos! E o processo de germinação ao nossos olhos é igual a de um macaco dentro de uma fábrica de carros, por exemplo. Ele consegue ver aquelas máquinas colocando portas, motor, capô, a pintura jorrando na lataria mas não entende como isso é feito. O macaco é irracional, o homem é racional e provavelmente os criadores do universo sejam supra racionais, uma escala que nós não alcançamos.
 
     Imagina uma fábrica de seres humanos. A linha compacto de olhos puxados, importada pela Ásia, a outra linha grafite exuberante, sucesso na África, e o loiro de olho azul quatro portas, o mais encontrado na Europa. Para a teoria do Design Inteligente, essa diferenciação entre as “linhas” da
raça humana é proveniente de um DNA Divino, e momentâneo, que alterou a produção conforme o Dono da fábrica desejava. Da mesma forma a regionalização dessas raças, que certamente não é só mais uma coincidência geográfica. E, agora, as “máquinas” só repetem a criação inicial desse projetista surreal que aplica seu conceito de evolução em tudo que existe. Até no que não é palpável como o bem e o mal, a saudade, a alegria ou a tristeza, etc.                                       
     O interessante é que essa própria teoria não se questiona: Tá, mas quem criou o criador? E eu vou além. Quem criou a existência? Quem chegou e ligou a TV Universo e pronto, tudo passou a existir. Mas também, alguém que fez isso já existia. Então, quem ou qual foi a primeira coisa a existir? É possível ou lógico que a existência tenha algum antecessor? O nada? Mas o que é o nada? Como e por quê o nada dá vasão a um tudo? E para quê?
      Entre tantos questionamentos e com a cabeça quase pifando, olho para o futuro e vejo o universo infinito. Um bolinha de tênis adentrando a galáxia para sempre porque, absurdamente, não existe limite de tempo e espaço. Eu olho para trás e vejo o mesmo. Uma não criação do universo. Um espaço que sempre existiu porque é infinito para frente e para trás. E superbigbang dentro da nossa cabeça. A inteligência humana não pode ir além daqui porque não é infinita como a existência em si.
     Entretanto, se esse Designer tão complexo quanto sua própria criação fez o mundo perfeito e me colocou nele, quem sou eu para projetar minha própria vida de forma leviana?
É simples. A vida não é recreio não. É trabalho. É coisa séria, para gente grande. Temos a função de construir histórias incríveis. As nossas. De outras pessoas. Buscar o melhor caminho sempre, da mesma forma como esse mundo que o Criador nos inventou. E superar, mostrar resultados, não para a sociedade, mas para esse misterioso Designer da Existência que é como um Chefe que tudo vê no Big Brother da vida. Então, gerando mais energia do bem, maior será a recompensa da existência a nossa alma. Claro que, às vezes, é difícil não ver a quem, mas devemos ter em mente que nosso compromisso é com o Universo e não com o outro. O retorno é a vida que nos dá, tanto para bem quanto para o mal. E esse bumerangue de ação e reação é uma lei da natureza tão precisa, quanto semear uma árvore e colher os frutos da semente que a gente plantou. Quanto mais conectados a esse Design Inteligente, tanto em pensamento quanto em ação, melhores são os frutos que naturalmente - ou estrategicamente na visão Dele - iremos colher
    
     O único sentimento que se assemelha à perfeição desse Designer é a generosidade. É nela que nossa vida entra em sintonia e sincronia com essa natureza exata da existência. O amor é a nossa moeda para com o Criador porque quanto mais dispomos de bondade, maior o nosso lucro. Como uma conta corrente que conforme mais no vermelho, maior também serão os juros. Assim, não prejudicar outrem passa a ser mais do que altruísmo. Vira uma questão de inteligência para quem quer ser feliz. Porque evitar fazer o mal é, simplesmente, fazer bem... a si mesmo!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

LUGAR DE ORGULHO GAY É NO ARMÁRIO




Imagina a cena. Mesa de jantar, família toda reunida para Ceia de Natal, então o filho mais novo, beirando os 20, levanta e diz:

- Eu queria aproveitar que tá toda a família reunida pra assumir uma coisa que tá me sufocando... Eu não aguento mais! Tenho que colocar pra fora... Resolvi sair do...

Todos se olham tensos. A mãe tenta impedir o filho de falar, mas em vão, ele sobe a voz e anuncia: 

- Resolvi sair do criado mudo. Sou hétero!!!!

Será que alguma vez na história alguém já se assumiu heterossexual? 
     Provavelmente não. Agora por que não? 
  Porque a heterossexualidade é legitimada pela sociedade atual, e pela natureza também em muitas situações. Mas não em todas.

E a homossexualidade vem de onde?
Temos Freud explicando o complexo de Édipo. Mas e quem não tem mãe? Aqui entraria o diabo das Igrejas mais ortodoxas?  O espiritismo também pode ter razão quando fala que depois de muitas vidas no mesmo gênero, trocar de sexo em uma vida seguinte, pode não comportar uma mudança da alma. E mesmo tendo, no corpo, um sexo bem definido, a alma segue com as sensações do antigo. 
Mas pode ser que a opção homo não seja nada do outro mundo. E sim, o resultado de uma criação de opressão e repressão. Talvez um jovem tenha sua masculinidade roubada com abusos sexuais ou morais e não se sinta capaz de ser homem. Ou talvez uma menina tenha uma mãe tão vilã, que desenvolva um trauma de viver o papel da mulher e se transformar na bruxa das histórias que ouvia na infância.  Talvez seja um pouco disso tudo ou, talvez, nada disso. Ninguém sabe ainda. 

      Muitos alegam que a heterossexualidade é o natural porque é assim que a humanidade procria. Muito lógico por sinal, se a gente não levar em conta - diferente de alguns países orientais -  que o espaço no nosso mundo é limitado e, quem sabe um dia, as espécies terão de parar de se reproduzir, pelo menos por um tempo, para não faltar o espaço físico no Planeta Terra. E aqui se encaixaria a explicação da homossexualidade no mundo como uma função natural da evolução: Evitar a superpopulação do nosso planeta. Então, pasmem, sentir atração por iguais entra, agora, nos planos de Deus. E a consequência disso, daqui a milhões de anos, ou nem tanto, pode ser o mundo gay tão sonhado pelos homossexuais ainda nada a vontade com sua própria opção. 

Aliás, existe muita gente atraída por iguais que é cheia de preconceito. Heterossexual convicto fala de mulher, futebol,  trabalho, investimento e/ou política. E nunca vai ficar de fofoquinha - palavra que também não combina com heterossexualidade, nem com nenhuma pessoa equilibrada -  comentando se o fulano é gay ou isso e aquilo, porque simplesmente não faz nenhuma diferença para ele. Para um legítimo hétero, mal interessa se o peito é de silicone, quanto mais se o colega agasalha o croquete. Aliás, se a vizinha for lésbica, melhor. É por isso que você nunca vai ouvir da boca de alguém 100% hétero: "esse cara é viado" porque ele é muito homem para perder tempo com esses papos de "mulherzinha". E a gente só fala daquilo que nos interessa.

Várias vezes já me perguntaram se é verdade que todo gaúcho é gay. Minha resposta é:
- Olha, obviamente, nem todo gaúcho é gay, mas todo mundo que me faz essa pergunta é.

Bah! Fala sério!! O estado com a fama de ter a melhores mulheres do mundo e o cara pergunta sobre os gays?!!! Existe armário mais transparente do que esse?

Mesma coisa acontece com os homofóbicos. Foi notícia: Um cara e um jovem estavam caminhando abraçados, trocando carinho e foram espancados por isso. Despois descobre-se que eram pai e filho. Bom, se eles não eram gays, a homossexualidade não estava neles. Então, veio de onde? 
Os próprios homofóbicos fantasiaram um casal gay.  O filme Beleza Americana, ganhador de vários Oscar, explica bem isso. 

Quando a deputado Jair Bolsonaro fala que o homossexualismo vai acabar com a família, me dá a nítida impressão de que ele não casou com um homem porque tinha de formar uma família como manda o figurino. 
O casamento gay acaba com muita burocracia, mas não com os heterossexuais, como se fosse uma invasão ao Iraque. A fantasia do Bolsonaro indica que ele é só mais uma pessoa mal resolvida querendo antecipar o mundo gay. Mas o mundo não precisa ser gay para que as pessoas se aceitem gay. E, tenho para mim, que toda pessoa que gasta energia contra qualquer referência homossexual tem lá suas questões, da mesma forma, aqueles que falam... "porque eu que sou hétero".  E hétero precisa falar que é hétero?

Mas no fundo a culpa não é dos armarildos, pois, todos nos crescemos ouvindo que homem não chora. Não tem sensibilidade. Não é carinhoso. Não discute relação. Não faz terapia. Tem que ser bruto. Homem não pode rejeitar mulher, nem dançar em boate. E tem que trair. Então, quando o cara identifica em si, a sensibilidade inerente a qualquer ser humano, mesmo que não seja gay, sai querendo matar todo mundo porque acredita que possa assassinar no outro a sua própria sensibilidade. Mas não pode.

"Não tenho vontade de trair minha namorada. Será que sou gay? Acho que preciso de terapia. Não! Vou sair pra dançar... Putz f...!"

A própria Dilma, que queria lançar o kit gay, foi perguntada por um jornalista se era homossexual. A resposta indignada, no vídeo abaixo, foi " Meu filho, tenho uma filha e uma neta". Agora, para quê tanto nervosismo? Não era mais fácil dar uma resposta livre de culpa e preconceito, com um suave sorriso no rosto? Tipo: "Meu querido, o que importa é que eu sou uma boa presidenta."  Qualificação que não vem ao caso.
Tudo que aprendemos sobre pacotes masculinos e femininos nos leva a sérios riscos porque jeito de ser não define posição sexual. Tem muito homem macho e até estúpido com o joelho ralado. Tem muito cabelereiro tarado em mulher. E tem muita mulher feminina e até vulgar que só usa calça de velcro. E daí? 
  
     Também existem muitos gays que não conseguem receber um sorriso ou  atenção sem fantasiar o casamento dos sonhos com um cara que está apenas sendo gentil. Se os gays não acharem normal receber um elogio de outro homem, como os outros acharão? Se existem homossexuais que não acham normal sua própria condição,  quem achará? 

     E cara que fala "Não acho homem bonito" tem medo de ser gay porque visualiza essa possibilidade na admiração por outros homens. E, às vezes, é gay mesmo. Outras não. Fica só inseguro diante de tantos rótulos sociais superficiais. 
     Um homem pode admirar a beleza de outro sim! Como admira um carro ou uma paisagem. Homem chora até assistindo filme. Não sente tesão em algumas mulheres. Homem também tem coração e, as vezes, é feliz sendo fiel. Homem tem vaidade! E tem que ser muito macho para não se preocupar com que os outros vão inventar a partir disso. Digo inventar, porque não tem como mensurarmos a aptidão sexual de ninguém. Simplesmente porque a identidade sexual é como impressão digital: cada um tem a sua. Pessoas totalmente gays e héteros convictos são a grande minoria. Isso, minoria! Entre um e outro existem milhares de possibilidades que não justificam nenhum rótulo e, mesmo assim, podem  ser possibilidades felizes e naturais. 
Existem sim, aquelas pessoas que realmente não gostam nem de encostar em pessoas do mesmo gênero.  Enquanto, outras sentem certo prazer ao abraçar.  Existem aquelas que gostam de fantasiar com o mesmo sexo sem a mínima vontade de realizar tais fantasias. Já outras se permitem serem tocadas, acariciadas e ponto. Tem aquelas que vão além, fazem sexo ou nem chegam a tanto. E não interessa para quem está fora das 4 paredes. Cada um tem o seu limite, o seu gosto, suas fantasias. E todos devem ser respeitados! Ao invés de trancafiados em armários...

Passeatas de orgulho gay me soam como heterofobia, se não como bloco de carnaval. Orgulho é um dos 7 pecados capitais. Pessoas orgulhosas são mal resolvidas, se sentem menores e usam o orgulho para se defender da sua própria pseudo-pequenês. 

    Orgulho de ser gay? Fala sério! Qualquer merda pode ser. Se for para sentir orgulho, que seja por ser bom caráter, por bons feitos, conquistas e realizações de sonhos, por ser digno, íntegro, generoso, coisa que muito gay não é, e muitos héteros nunca ouviram falar. Orgulho de sair do armário? Tem é que sentir vergonha de ter acreditado nele. Como Marco Nanini disse: 
"Eu saí do armário?! Como, se nunca entrei?" 



    Amor próprio todos podem e devem ter, seja hétero, homo ou esteja em algum lugar entre. Pessoas bem resolvidas não carregam bandeira na mão, porque estão com as mãos ocupadas com quem elas amam. São felizes sem dar qualquer explicação, pois, da mesma forma que ninguém precisa revelar que é heterossexual porque é "normal", também ninguém precisa anunciar que não é. O lugar do orgulho homossexual é no armário, porque mundo bem resolvido, não é gay. E nem mesmo hétero. 
É livre!











DILMA respondendo a pergunta sobre sua sexualidade:




segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Salve, Santa Maria!


Estou revoltado! Indignado! Puto da vida com o fogo de artifício que causou o incêndio na boate Kiss em Santa Maria.  Será que ele não tinha uma mãe ou um pai para orientar que não devia desobedecer funcionando em locais fechados? Ou simplesmente um pouco de consciência, já que o alerta era claro na sua própria caixa, o que barateava o produto.
 E que castigo dar ao extintor de incêndio que não funcionou ou quiça estava vazio? Os bombeiros deveriam mantê-lo na prisão por tempo perpétuo até para não ser linchado pelo povo. É um absurdo! Quem ele pensa que é para falhar em um momento crucial como o dessa tragédia?
E a ingrata porta que não existia? Como pôde ela, se ausentar onde sua presença era deliberadamente necessária. Não foi capaz nem de mandar uma janela para arcar com sua própria falta. Uma covarde, irresponsável!
Mas a espuma!! Ah! Essa espuma insolente, invasiva... Se meteu onde não devia e intoxicou a maioria das vítimas. Essa espuma é de um caráter nefasto. Sórdida se manteve dissimulada entre os refletores e liberou seu veneno letal em um princípio de contato com o fogo. Rápida e rasteira, embora no teto.
Olha, para mim não existe outra explicação. Artefato pirotécnico, extintor de incêndio, espuma anti-ruido e porta de emergência estavam mancomunados no ensejo dessa tragédia. Só pode ser isso, porque alguém nervoso pode até não dar conta de fazer funcionar um extintor, mas é impossível conceber tamanha irresponsabilidade de um artista que manuseia algo proibido e perigoso para gastar R$ 2,50 ao invés de R$ 70,00. O que, se não falha minha matemática, é uma economia de 230 corpos empilhados. Vale?
É surreal que um proprietário ou gerente de um estabelecimento seja incapaz de projetar uma porta de emergência em uma casa noturna com capacidade para receber 691 pessoas, tipo de local onde confusões são corriqueiras. De repente, a ideia era exatamente essa. Em caso de brigas ou incêndios, não teria como os clientes escaparem sem pagar a comanda. Aliás, essa parece que era a orientação aos seguranças. E mesmo com apenas uma porta de pelo menos 2 metros, a boate Kiss tinha por volta do dobro da sua capacidade. Uns, inacreditavelmente, 1300 jovens sob espumas que são proibidas em casas noturnas por serem inflamáveis e altamente tóxicas.  Cá entre nós, é muita lambança para a racionalidade humana. Ou seja, é óbvio que a porta de emergência foi a mandante do crime e não apareceu para evitar suspeitas. Deve até ter um álibi.
Mas você pode estar na defesa do geralmente heroico extintor, ou da espuma que poupa barulho e deixa muita gente dormir. Talvez você perdoe os emocionantes fogos de artifício e até as salvadoras portas de emergência. E, certamente, atribui culpa ao vocalista da banda, aos donos da boate e até às instituições que, de forma incompetente ou e$pertamente concederam os alvarás indevidos para o funcionamento da Kiss. Eu até entendo, mas tenho de ser sincero: discordo de você! A responsabilidade não é deles. Não só, pelo menos.
E não estou dizendo isso porque sei que ninguém economiza R$ 67,50, ou uma porta de emergência para que 237 jovens morram. Nem porque o peso da culpa que essas pessoas, enquanto estiverem vivas – e devem estar bem vivas – terão sobre suas costas equivale a 3 infernos e meio e por isso a cadeia será um lounge para eles. Não. Não é isso. Quem matou aqueles jovens estudantes foi a nossa cultura, representada pela malandragem. Essa malandragem burra que não enxerga além do curto prazo. Esse valor imbecilóide encravado equivocadamente na cultura do melhor povo do mundo, que envaidece patéticamente quem o tem. Esperto é quem faz o certo porque evita problemas futuros, entre uma simples insônia a 237 mortes.
Vivemos em um país onde, logo após essa terrível tragédia, um dos homens mais corruptos do mundo passou a Presidência do Senado do Brasil para outro político denunciado pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documentos falsos em negociações lucrativas. Um país que teve um presidente que confiscou a poupança para construir a casa da Dinda, não acabou com a inflação e ainda foi reeleito. Teve outro presidente que vendeu os maiores patrimônios do nosso Brasil, sem prestar contas. E também aquele que pagava mensalão com o dinheiro do povo, para conseguir governar.  Você acredita que algum deles voltaria para resgatar alguém de dentro da Kiss e morreria como os jovens heroicos que perderam a vida por total falta de malandragem?
Um país que tem gestores como esses em seus cargos mais importantes, não pode condenar um mero cantor que cometeu a mortal e plural irresponsabilidade de economizar alguns reais sem desviar um centavo sequer.  Pensemos nas milhares de crianças que morreram devido a ladroagem de políticos corruptos que roubam dinheiro do hospital do câncer. Quantos milhões de adultos morreram por causa de mais políticos que desviam o dinheiro da saúde em péssima qualidade de um país que bate record de arrecadação de impostos. Uma educação precária em um Brasil que gasta 82 bilhões por ano em corrupção. (segundo a Revista Veja)
O que são 82 bilhões roubados por políticos que deviam zelar pelo nosso patrimônio, pela nossa educação, bem estar e desenvolvimento enquanto cidadãos brasileiros, perto da espuma proibida ou da porta de emergência que não existia?
“Justiça a todos” bem pichou o jovem na fachada da boate Kiss. Não é porque nunca roubamos nem 1 real que estamos isentos desse crime. Todos nós que furamos filas ou o sinal por pura malandragem. Que não cumprimos palavras, nem compromissos. Que fugimos de nossas responsabilidades e das consequências de nossos atos. Todos nós que passamos a perna, traímos, que mentimos para fazer mal ou tiramos vantagens indevidas. Todos nós que pagamos propina para escapar ou conseguir algo, que burlamos leis.  Todos nós que nos corrompemos física e moralmente devido a essa malandragem humanamente ilícita que não tem nada a ver com o verdadeiro brasileiro.
Todos, esses tantos de nós, que agimos de má fé, acendemos o artefato pirotécnico proibido e demos o alvará indevido de funcionamento à boate. Nós também colocamos ilegalmente a espuma mortal no teto da casa noturna e negligenciamos a porta de emergência. Somos cúmplices dos incendiários. E não adianta negar. Nós que movimentamos e alimentamos essa cultura da malandragem, mesmo que indiretamente, também deixamos aquelas mães e pais sem um último Kiss de seus filhos universitários.
Em tantas cidades do mundo para que tal tragédia não acontecesse, ela surpreende na cidade universitária do interior gaúcho. Casualmente cidade natal dos meus pais, berço da minha família.  Mas por quê lá? Mera trágica coincidência? Acho difícil, porque realmente acredito que nada é por acaso, não é... Santa Maria? Mãe de Deus, rogai por nós os malandros agora e na hora de nossa morte... Amém.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Cronos, o Tempo.



Senhor da existência

Dono da história

Inércia rumo ao infinito

Admira-se a cada instante

deixando impiedosamente para trás

o momento existido

Palco dos acontecimentos

Implacável medida de vida

Degrada, evolui.

Reviravoltante como o vento

Tem como único refúgio a memória

Leva o universo, sem convite, para o futuro

nos empurrando a todo instante

para um mergulho sem volta no destino

O inevitável tempo

que nos rouba a juventude

mas é incapaz de tocar a nossa alma...


Gabrilela, Cravo e Canela.


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sonho ou Destino?

     Nenhuma vitória é de graça. Toda conquista sem suor não é de verdade porque a palavra vitória compreende em um caminho anterior a si mesma. Se não existisse certa distância entre o ponto que estamos agora até nosso objetivo, a palavra conquista não apresentaria qualquer significância.

     E esse caminho é reto. Tudo começa no desejo real. De onde partimos. Uma vontade inexplicável que vem lá de dentro da gente e, às vezes, soa como destino. É genuíno e ditado pela nossa alma, não pelo que os outros pensam ou a sociedade espera. São sussuros que dizem para gente lutar por algo, correr atrás. Como se fossem nossa conecção com o divido. Deus nos soprando a que viemos.

     O desejo real é importante primeiro porque nos movimenta com força, consistência. É ele que nos ajuda a levantar, a sacudir a poeira e dar a volta por cima. E querer de verdade é fundamental, principalmente, porque só conquistando o que realmente nos faz bem, seremos verdadeiramente felizes. Por isso é imprescindível separá-lo do exibicionismo, do ego, da necessidade de corresponder às expectativas dos outros e até do masoquismo.

     Se você conseguir alcançar o verdadeiro desejo que habita sua alma, vai perceber que existe uma certa coincidência pairando no ar entre o que você quer e suas habilidades. Como se a força do desejo tivesse associada a uma sementinha de talento, que precisaremos cultivar com seriedade para que dê os tão sonhados frutos, as conquistas. Difícil saber o que vem primeiro: a habilidade ou o sonho, mas de uma forma eles estão curiosamente interligados. Ou, talvez, sonho e vocação sejam a mesma coisa sob pontos de vista diferentes.

     Ninguém nasce sabendo. Fato. Então, por mais talento que se tenha é preciso desenvolvê-lo. Algumas pessoas vão percorrer um caminho mais árduo que outras, sem qualquer explicação que justifique tal disparidade. O importante aqui é que você esqueça de se comparar e dê o esforço que você precisa para aprimorar a sua habilidade. Concentre-se. Foque! Essa parte vai tomar muito tempo da sua vida, dos seus dias e de muitas das suas noites também. É inevitável: você terá de estudar, aprender e praticar muito para, então, se colocar mais perto de seu sonho, seja ele qual for. O medo e a insegurança fazem parte do processo. São os obstáculos que não estão fora de você.

     Se você tem a clareza de que não existe outra fórmula digna de se conseguir o que almeja, e sabe respeitar o seu tempo de crescimento dentro daquilo que você sonha em ser, vai perceber que para vencer na vida - seja no amor, família ou trabalho - não é preciso mentir, manipular, agir de forma interesseira, fingir que é melhor do que realmente é, prejudicar os outros por medo de ser superado ou para se sobressair, nem substituir capacidade por dinheiro comprando amizades, amores, cargos e até empregos. Mesmo porque, a vida não é uma megasena onde a gente marca uns números e tira a sorte grande de um destino perfeito. Felicidade dá trabalho.

     Mas o universo conspira a favor de quem se esforça. O que você vê como obstáculo pode ser a vida protegendo seu sucesso de você mesmo, quando te desvia do que não é bom para o que há de melhor para sua felicidade, evitando que você traia seu próprio instinto. É! Talvez sonho não seja a palavra certa pra traduzir o que temos dentro da gente, e sim, premonição. Confia! Aquilo que você realmente deseja é da natureza se realizar e não o contrário. Por isso, faça a sua parte dando o seu melhor e deixe que o seguir da vida se encarregue do resto.

     O plano da verdadeira realização é a coluna vertebral da nossa linha da vida. A base do sentido de nossa existência. Ir de encontro aos nossos sonhos é a única coisa que verdadeiramente nos move nessa vida. Portanto, pare de perder tempo com o que não é importante. Siga em frente seja qual for o caminho que você tenha que percorrer, seja quanto tempo possa levar essa trajetória, seja que tamanho a conquista tenha para os outros desde que seja grande para você. Supere todos os obstáculos com essa vontade de realizar que nasce da sua alma. E deixe a natureza agir. Assim, quando você estiver no fim da estrada da vida, vai poder olhar para trás com um suave sorriso no rosto e dizer: Valeu a pena...



Novela Gabriela

Luciano Cazz e Antônio Fagundes nas gravações de Gabriela.


sábado, 28 de julho de 2012

A Rainha sem espelho

    
     A Rainha, desesperada, chega correndo até o Sábio:

- Ó meu Deus! Que vida infeliz. Não alcanço nada do que almejo.

     Surpreso, o Sábio exclama:

- O que dizes?!

- Me ajude, Sábio, por favor, estou quase desistindo de viver.

- E por quê tamanha angústia?

     Sem conseguir segurar seu pranto, a Rainha desabafa:

- Fui até o mar e avistei o mágico balé dos golfinhos. Fiquei admirada, mas um minuto em baixo d’água e morro afogada. Depois fui até o alto de uma árvore e pude ouvir o sensível canto de lindos pássaros coloridos, mas minha voz é um zumbido. E quando avistei aqueles animais correndo livres pelo campo, percebi que minhas pernas não são suficientes. Até no galinheiro eu fui. Chorei quando vi aqueles ovos enormes que jamais serei capaz de colocar.

- Minha cara, acredite na perfeição de Deus.

- Perfeição, Sábio? Sou muito limitada.

- Como todos. Tenha certeza de que Deus lhe fez do jeito que tinhas de ser.

- Mas sempre alguém é melhor.

- A inveja e a competição lhe desviam do seu caminho, distraem seu aprimoramento e desperdiçam seu tempo de vida. Entenda que as qualidades dos outros não anulam as suas. Elas podem ser simultâneas.

- Meu coração se parte em cada fracasso.

- Vença a ti mesma, e terás o melhor de si.

     Sofrida, a Rainha reclama:

- Nem a inteligência de um macaco eu tenho para entender seus sábios conselhos.

     O Sábio, então pega um espelho e coloca na frente da Rainha.

- Vês um golfinho?

- Não. Responde a rainha.

- Um pássaro, um leão, uma galinha, um macaco?

- Também não.


- Me diga o que vês?



     A Rainha olha-se no espelho e responde:

- Uma abelha. Sou uma abelha...

- Siga seu próprio caminho e, assim, desfrutará de sua doce majestade.

     E no pranto encerrado da Abelha Rainha, o Sábio viu nascer um sorriso...